O mundo é feito de escolhas

Aquele momento da vida que você olha e diz, em pensamento, "eu me precipitei". Podemos olhar para muitas coisas que fazemos em nosso cotidiano e vamos perceber que em muitas delas nossas decisões são precipitadas e que um instante de reflexão nos ajudaria a evitar arrependimentos desnecessários em nossas vidas.

Esperar uma nova possibilidade pode não ser a melhor das alternativas então como posso saber se é a hora da escolha ou se a escolha é precipitada? A resposta para essa questão não é fácil e certamente não é uma escolha lógica, não há fórmula matemática que possa nos ajudar a tomar decisões em nossas vidas, ao menos em boa parte delas ou em questões que de fato irão mexer com nossas mais profundas emoções.

Não precisa muitas decisões precipitadas para nos jogar numa cisterna profunda e seca, basta uma escolha errada e as consequências nos assombrarão por toda a nossa vida. Algumas decisões não possuem reparo, não se enganem, não há como reparar uma ação precipitada, aligeirada e sem reflexão sobre os desdobramentos possíveis no futuro que um dia se tornará presente e dificilmente será passado.

Decisões precipitadas só existem pelo nosso desconhecimento de nós mesmos. Trata-se de um vacilo, uma ação, como já disse, aligeirada, sem tempo para refletir se o meu eu do futuro vai aceitar/gostar dessa ação realizada por esse meu eu de agora. Isso só é possível através de um autoconhecimento que poucos possuem.

Nós tomamos decisões a todo o momento, o mundo é feito de escolhas, sou fruto das minhas escolhas e suas consequências. O conceito a ser explorado neste texto é o arrependimento, ações precipitadas fatalmente irão gerar arrependimentos e o como lidar com esses arrependimentos é fruto de como aprendemos com nossas decisões.

O passado não passou, ele está aqui, presente no presente. Eu já disse que não é possível dar UM PASSO ATRÁS, então é sábio tomar decisões não precipitadas e deixar as precipitações apenas para as águas de março.

Comentários