Pular para o conteúdo principal

VAGAS EM CRECHES PARTICULARES PROVOCAM POLÊMICA NA CÂMARA

Foto: Reprodução CMF
A utilização de vagas em creches privadas por alunos em lista de espera na rede pública foi o assunto do dia 05/7 na Câmara de Vereadores de Florianópolis. A possibilidade está prevista no projeto de lei 16.998/17, de autoria do vereador João Luiz da Silveira (PSC).

De acordo com a proposta, o pagamento às escolas que se cadastrarem junto à prefeitura seria feito mediante isenção do pagamento do IPTU, mesmo que o imóvel ocupado pela respectiva creche seja alugado.

O projeto mobilizou parlamentares da situação e da oposição e levou os servidores, liderados pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (SIntrasem), ao entorno da Câmara e às galerias durante toda a tarde de hoje, embalados por carro de som. Para os servidores, o projeto pretende privatizar a educação no município.

A mobilização ocorreu nesta data porque os servidores acreditavam que o projeto seria votado em plenário, mas a matéria não estava na pauta da sessão. O PL foi protocolado na Casa em 13 de março e tramitou normalmente nas Comissões Permanentes, até que em meados de junho o autor pediu que a matéria fosse votada em regime de urgência.

Cercados pelo calor das manifestações, alguns vereadores de oposição defenderam a rejeição do projeto, como Afrânio Boppré, Renato da Farmácia e Marquito, do PSOL, e Lela (PDT). Sua principal alegação é a inconstitucionalidade da matéria. Segundo eles, o Legislativo não tem competência para legislar sobre assuntos financeiros por iniciativa própria. Além disso, o projeto prevê ainda renúncia de receita, o que também não é permitido pela legislação, assim como vincula despesas a impostos.

 Numa posição intermediária, o vereador Pedrão (PP) defendeu que a matéria retorne à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ele propõe uma análise mais detalhada nas matrículas efetivadas, com o objetivo de evitar fraudes. Para o vereador Dalmo Meneses (PSD), o problema do projeto é a vinculação com o IPTU. Superada a ilegalidade, a utilização de vagas em creches privadas pode ser repensada.

Já o vereador Tiago Silva (PMDB) defendeu abertamente o projeto. Para ele, a função dos políticos é garantir as vagas nas creches. Sobre a inconstitucionalidade, disse ele, “é problema do Tribunal de Justiça”.

O líder do governo, vereador Katumi (PSD), denunciou da tribuna o que chamou de manobra do Sintrasem. Segundo ele, “o sindicato enganou os servidores mais uma vez” ao mobilizá-los em torno da Câmara. “Fecharam as creches e vieram pra cá”, disse, “mas não tem nenhum projeto sendo votado aqui hoje”, concluiu.

Ao final da discussão, o autor do projeto retirou o pedido de urgência na tramitação. Na semana que vem o PL voltará à CCJ, porque uma emenda foi apresentada pelo vereador Miltinho Barcelos (DEM). O projeto só deverá ser votado em plenário em agosto.

Fonte: CMF

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diário de Classe

IMPORTÂNCIA DO PREENCHIMENTO CORRETO DO DIÁRIO DE CLASSE
O Diário de Classe é um documento oficial da Unidade Escolar e um instrumento de responsabilidade do PROFESSOR com a finalidade de registrar e documentar a frequência e o aproveitamento individual do aluno regularmente matriculado. É também, o documento de controle e confirmação do trabalho do professor e dos alunos. Devido à sua importância, deverá ser preenchido somente pelo professor de forma cuidadosa, sem rasuras e à caneta. ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR REFERENTES AO DIÁRIO DE CLASSE - Preencher o diário de classe de acordo com as aulas ministradas, conforme as orientações estabelecidas no Regimento Interno da U.E.; - Garantir a clareza e a sequência lógica nos registros dos conteúdos de forma que seja possível identificar a relação entre o diário de classe e o planejamento pedagógico; - Lançar os registros diariamente; - Preencher o diário com letra legível, sem erros ou rasuras; - Não fazer registros a lápis no diário…

Como configurar teclado do tablet S3 para acentuar em português

A configuração da capa teclado para o tablet S3 gera muita confusão. Nem mesmo os atendentes da Samsung souberam configurar o produto em loja e o atendimento pelo telefone foi pior, resultado: vamos aprender sozinhos.

Há alguns tutoriais aqui na internet solicitando para instalar um APP que faz uma "gambiarra" onde você precisa digitar certos códigos para conseguir grafar com "ç", "á" "ã" ou qualquer outro acentuação em língua portuguesa do Brasil. Como dira aquelas propagandas tipo "Polishop" (não sei se é assim que se escreve, mas você entendeu), então como dizem os programas deste estilo "esqueçam tudo"!



Vamos direto ao ponto: conecte o teclado físico no seu tablet, entre em configurações depois vá em Gerenciamento geral (onde há idioma e entrada); clique me idioma e entrada e depois clique em teclado físico, posteriormente procure e selecione "Brasileiro". De fábrica o teclado vem selecionado Português, mas isso n…

Sorriso e Silêncio

A mensagem acima, eu li em um perfil de uma rede social. Fiquei pensando sobre os problemas da simplificação da mensagem que aponta para a ideia de que o silêncio é uma maneira de se evitar os problemas.
Penso que estamos onde estamos por enfrentar os problemas e não evitá-los. As doenças sempre foram um problema para a humanidade e as enfrentamos, a gravidade foi, num passado próximo, um problema e hoje temos satélites em órbita porque ela foi enfrentada e não evitada. 
Na verdade o problema não é, em última análise, o problema. Ademais, quando da existência de um problema, o sorriso não me ajuda muito a resolvê-lo. 
Bons livros, horas de pesquisa e muita dedicação sim, pode me ajudar a resolver um problema.
Sobre o silêncio, outro equívoco, o silêncio não é a maneira de evitar os problemas, pelo contrário, o silêncio pode causar muitos problemas. Vocês lembram do Holocausto? Fruto da loucura de uns e do silêncio de outros.
Uma possível correção da legenda na mensagem acima seria, não fiq…