UM PASSO ATRÁS




Tenho poucas certezas na vida e uma delas é que a humanidade não inventou uma máquina do tempo que fosse capaz de voltar no tempo, mas a imaginação sobre as possibilidades de uma invenção já tomou conta de muita gente.

A possibilidade de voltar e realizar coisas de modo diferente… dizer não ao invés de sim, ou dizer sim no lugar do não; abraçar mais uma vez, ou simplesmente observar platonicamente a infância que já não é mais minha.
Uma máquina do tempo só faz sentido porque há o tempo, se o tempo não passasse, e ainda bem que ele passa, o desejo de mudança nunca existiria. Com o tempo vem as conquistas e as frustrações; as alegrias e as tristezas. Com o tempo todos os sentimentos antagônicos vão se revelando como que na expectativa de que é assim que o tempo passa.

Não é possível tomar decisões já tomadas, não posso voltar no tempo e deixar de beber um copo de água que bebi na semana passada, não posso trocar o sabor do sorvete que escolhi no último verão a decisão já foi tomada e o tempo selou por definitivo a escolha feita.
Ah! Máquina do tempo, você nunca será criada, pois se fosse possível sua existência você já estaria revelada. Você mostraria para o tempo que o tempo não é mais o dono das decisões. Você, máquina do tempo, seria a voz da nova possibilidade, da outra escolha, da alternativa.
Hoje percebo que não é possível dar um passo atrás, entendo suas angústias, e vejo que o tempo é contraditoriamente, a resposta para o recomeço.




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado.


*