Situação do Caldeirão no Morro das Pedras

Defesa Civil Municipal alerta para ressaca. Moradores confirmam piora da situação e o risco eminente de queda de postes de luz e inter...

EU, DANIEL BLAKE [COMENTANDO]

Diagnosticado com um grave problema de coração, Daniel Blake (Dave Johns), um viúvo de 59 anos, tem indicação médica para deixar de trabalhar. Mas quando tenta receber os benefícios do Estado que lhe concedam uma forma de subsistência, vê-se enredado numa burocracia injusta e constrangedora. Apesar do esforço em encontrar um modo de provar a sua incapacidade, parece que ninguém está interessado em admiti-la. Durante uma espera numa repartição da Segurança Social conhece Katie (Hayley Squires), uma mãe solteira de duas crianças a precisar de ajuda urgente, que se mudou recentemente para Newcastle (Inglaterra). Daniel e Katie, dois estranhos cujas voltas da vida os deixaram sem forma de sustento, vêem-se assim obrigados a aceitar ajuda do banco alimentar. E é no meio do desespero que se tornam a única esperança um do outro… Veja no vídeo abaixo meus comentários sobre possibilidades pedagógicas deste filme.




FLORIANÓPOLIS PASSARÁ A SER CHAMADA DE POLEMICANÓPOLIS

DURANTE O GOVERNO DE GEAN LOUREIRO FLORIANÓPOLIS PASSARÁ A SER CHAMADA DE POLEMICANÓPOLIS.

Mesmo antes de chegar à discussão em plenário vereadores da oposição já se manifestaram contrários à alteração do nome da cidade afirmando que isso não trará nenhum benefício para os moradores do município.

Já os vereadores governistas justificam a mudança alegando que a medida irá gerar vários empregos diretos e indiretos. 

"A troca no nome da cidade fará a economia girar. Vai ser necessário um grande esforço para trocar  placas, letreiros, plotagem de carros etc. em toda a cidade o nome atual para o novo nome e isso vai empregar bastante gente. Só de placa de automóveis serão produzidas e trocadas mais de 400 mil unidades" Argumenta um vereador que por motivos óbvios não quis se identificar.



A decisão de mudar o nome da cidade para Polemicanópolis partiu de uma iniciativa popular depois que um grupo de moradores perceberam que a maioria das notícias veiculadas em jornais impressos ou televisionados sobre a cidade vinha com a chamada "POLÊMICA NA CIDADE."

A imprensa local disse que não tem responsabilidade sobre as manchetes apelativas e que a culpa de todas as polêmicas são dos projetos enviados para a câmara de vereadores pelo executivo.

O QUE DIZ A POPULAÇÃO

Questionado sobre a alteração do nome da cidade de Florianópolis para Polemicanópolis, um morador da cidade disse ser favorável à mudança o outro disse ser contrário e a POLÊMICA continua.

A proposta ainda não foi enviada para a Câmara de Vereadores, mas vai saber!?

[Essa notícia não tem nenhum compromisso com a realidade - Felizmente. Fica a sugestão de matéria (ou manchete) para o site Sensacionalista].

CÂMARA APROVA MUDANÇAS NO ESTATUTO DOS SERVIDORES

CÂMARA APROVA REFORMA ADMINISTRATIVA E MUDANÇAS NO ESTATUTO DOS SERVIDORES
Foto: Santiago Siqueira (editada)
A Câmara Municipal realizou nesta terça-feira, 24 de janeiro, Sessão Extraordinária para analisar projetos que integram o pacote de medidas encaminhado pelo prefeito Gean Loureiro. As 38 matérias começaram a tramitar na Casa no dia 12 de janeiro. No mesmo dia, foi constituída Comissão Especial para analisar as matérias.


Após avaliação, a Comissão definiu pela retirada de nove projetos, por considerar que é necessária a tramitação normal dos mesmos. Entre as matérias que saíram de pauta estão quatro que se referem a Plano Diretor, os projetos da Previdência Complementar, da Nota Manezinha, e o arquivamento da proposta que tratava sobre a taxa de resíduos sólidos. Além destes, o juiz federal Marcelo Krás Borges, da 6ª Vara Federal de Florianópolis, determinou a retirada de pauta de votação dos Projetos de Lei nº 1.605/2017, nº 1.607/2017 e 1.610/ 2017.



Antes de começar a apreciação dos projetos, de fato, o vereador Afrânio Boppré (PSOL) apresentou requerimento solicitando que o presidente da Casa não tivesse o direito de ter um segundo voto, em caso de empate. No entanto, a requisição foi rejeitada por 15 votos contrários, sete favoráveis e uma abstenção.

A Ordem do Dia chegou a ser iniciada, mas a sessão foi interrompida durante pouco mais de uma hora para almoço. Por volta das 13h30 o presidente Guilherme Pereira (PR) reiniciou os trabalhos, abrindo a discussão do primeiro projeto em pauta, o Projeto de Lei Complementar nº 1.590/2016 (mensagem 001/2017) que trata sofre a Reforma Administrativa da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Entre as principais medidas da matéria destacam-se a redução das Secretarias Municipais, a redução do número de cargos comissionados e funções gratificadas, e extinção de gratificações de atividade especial.



O projeto foi amplamente debatido e criticado pela oposição. Contudo, a matéria foi aprovada por 14 votos a favor, um contrário e oito vereadores consideraram-se impedidos de votar. Simultaneamente houve tumulto nas partes interna e externa da Casa Legislativa. Um princípio de confronto levou o presidente da Câmara, Guilherme Pereira (PR), a suspender a Sessão.



O conflito levou a Guarda Municipal a jogar spray de pimenta contra os manifestantes. Na confusão, móveis e janelas da Galeria dos ex-presidentes, localizada próximo ao Plenário, foram quebrados. Aos poucos a segurança conseguiu retomar o prédio, mas os servidores e demais cidadãos que acompanhavam a apreciação das matérias foram retirados do prédio.



Com a situação mais amena, o presidente Guilherme Pereira recebeu o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis, Alex dos Santos, para negociar pontos do segundo projeto da pauta, o qual impacta diretamente os servidores do Município. Durante uma hora e meia, vereadores e trabalhadores dialogaram, mas não houve acordo.



Às 18h37 a Sessão foi reiniciada e imediatamente aberta a discussão do Projeto de Lei Complementar nº 1.591/2016 que altera a Lei Complementar nº 63/2003 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Florianópolis). Esta proposta é a que gerou mais debate entre os parlamentares por afetar diretamente os servidores.



O vereador Afrânio Boppré (PSOL) apresentou requerimento solicitando a retirada do projeto, mas foi voto vencido pela maioria do Plenário que decidiu pela manutenção da matéria. A proposta foi criticada por vários parlamentares. Seguindo regimento interno, inicialmente foi aberta votação das emendas apresentadas pelos vereadores Afrânio Boppré (PSOL), Gabriel Meurer (PSB), Maikon Costa (PSDB), João Luiz da Silveira (PSC) e Professor Felipe (PDT) sendo que todas foram rejeitadas.



Já as emendas apresentadas pela Comissão Especial, entre elas, a que “assegura a incorporação das indenizações, gratificações e adicionais ao servidor adicionais ao servidor que na data da publicação da lei possua, no mínimo, dois terços do tempo necessário para sua incorporação”.


A matéria foi aprovada, com emendas incorporadas, por 12 votos favoráveis e 11 contrários. Na sequência os vereadores passaram a discutir o Projeto de Lei nº 19.934/2016 que autoriza o parcelamento das contribuições previdenciárias devidas e não repassadas pelo Município de Florianópolis aos Fundos Financeiro e Previdenciário, mas a discussão ficou para esta quarta-feira, 25 de janeiro, quando a sessão será retomada, a partir das 10h.

Fonte: CMF - Originalmente publicado em <http://cmf.sc.gov.br/noticias/6c983f43-01d0-49e9-9623-88ddb346bfe2> Acesso em 25/01/2017.



Em Tempo: Após aprovação das mudanças no estatuto do servidor vereadores fizeram declaração de voto criticando duramente os vereadores que votaram favorável ao projeto e o prefeito. O vereador Pedrão chegou a chamar o prefeito Gean Loureiro de "prefeito cagão".

Lembranças da Armação - Florianópolis/SC

Histórias da praia da Armação, Florianópolis-SC, estão neste documentário de 26 minutos produzido pelo Instituto Câmara Clara. Lembranças de lugares, festas, ofícios e saberes, contadas em verso e prosa por personagens cativantes. Uma interação estética entre os sons e imagens latentes na memória de cada um.

PARA REGISTRO DE MEMÓRIA

Esta imagem foi recebida via rede social e aqui publico como registro histórico do fatídico 24 de janeiro de 2017 onde a Câmara de Vereadores de Florianópolis aprovou mudanças no estatuto dos servidores.


VOTAÇÃO CÂMARA DE FLORIANÓPOLIS [PACOTÃO DO GEAN]

A sessão na Câmara Municipal de Florianópolis foi confusa com votação de emendas em bloco. Com essa tramitação alguns vereadores se posicionaram impedidos de votar por desconhecer o conteúdo da matéria em destaque. Vereador Pedrão disse no plenário "esse rito é uma palhaçada" e foi um dos vereadores que se sentiram impedidos de votar, o que não impediu o presidente da Câmara de continuar o processo de votação. Acompanhe no vídeo abaixo:


UM PASSO ATRÁS



Tenho poucas certezas na vida e uma delas é que a humanidade não inventou uma máquina do tempo que fosse capaz de voltar no tempo, mas a imaginação sobre as possibilidades de uma invenção já tomou conta de muita gente.

A possibilidade de voltar e realizar coisas de modo diferente... dizer não ao invés de sim, ou dizer sim no lugar do não; abraçar mais uma vez, ou simplesmente observar platonicamente a infância que já não é mais minha.

Uma máquina do tempo só faz sentido porque há o tempo, se o tempo não passasse, e ainda bem que ele passa, o desejo de mudança nunca existiria. Com o tempo vem as conquistas e as frustrações; as alegrias e as tristezas. Com o tempo todos os sentimentos antagônicos vão se revelando como que na expectativa de que é assim que o tempo passa.



Não é possível tomar decisões já tomadas, não posso voltar no tempo e deixar de beber um copo de água que bebi na semana passada, não posso trocar o sabor do sorvete que escolhi no último verão a decisão já foi tomada e o tempo selou por definitivo a escolha feita.

Ah! Máquina do tempo, você nunca será criada, pois se fosse possível sua existência você já estaria revelada. Você mostraria para o tempo que o tempo não é mais o dono das decisões. Você, máquina do tempo, seria a voz da nova possibilidade, da outra escolha, da alternativa.

Hoje percebo que não é possível dar um passo atrás, entendo suas angústias, e vejo que o tempo é contraditoriamente, a resposta para o recomeço.

CRIANDO A REGIÃO SimCity #001

PACOTÃO DO GEAN: TIRE SUAS DÚVIDAS

Faço em meu site a reprodução de texto publicado pela PMF dando sua versão sobre o pacote de medidas encaminhado pelo executivo ao legislativo municipal:


Prefeitura tira dúvidas sobre pacote de medidas Floripa Responsável


Desde que anunciado, o pacote de medidas e contenção de despesas da Prefeitura tem sido alvo de muitos questionamentos. Plano de cargos, carreiras e salários, extinção da licença-prêmio e cortes de cargos e secretarias são alguns dos temas citados no projeto que resultaram em dúvidas na população.

Mas afinal: a contribuição previdenciária do servidor vai aumentar? O passe estudantil irá acabar? Qual a situação financeira da Prefeitura? Separamos as 15 perguntas mais frequentes das pessoas e esclarecemos abaixo:

1. Postos de saúde serão fechados?

Não, nenhuma unidade de saúde ou educação será fechada. No entanto, se as medidas de economia previstas no pacote não forem aprovadas, o município não terá recursos para manter toda a estrutura até o final do ano de 2017.


2. Servidores vão perder os direitos adquiridos?

Não, nenhum servidor perderá qualquer tipo de direito adquirido no seu salário. Agregações, gratificações e demais benefícios que já foram incorporados ao salário serão mantidos, inclusive, para a aposentadoria. Também fica assegurado a incorporação de gratificações e adicionais aos servidores que tiverem cumprido todos os requisitos legais para a concessão a ela referente no momento da publicação da lei.


3. Licença-prêmio será extinta?

Sim, o benefício da licença prêmio, que são três meses de licença remunerada a cada cinco anos trabalhados, será extinto. O servidor segue recebendo suas férias anuais conforme previsto em lei.




4. A contribuição previdenciária do servidor vai aumentar?

Não vai mais aumentar a contribuição previdenciária. Este projeto foi retirado da pauta. Logo, as contribuições continuarão em 11%.


5. O passe estudantil vai acabar?

Não. As famílias que recebem até 3 salários mínimos terão direito ao passe INTEGRAL. Os demais continuam recebendo a meia passagem, como acontece atualmente.


6. As incorporações de salários serão extintas?

Sim, serão extintas a partir da promulgação da lei. A prefeitura gasta R$ 23 milhões por mês na folha por causa das incorporações de salários. Quem já possui, segue com o que já foi incorporado.


Exemplo: um servidor com um cargo administrativo que possa ocupar um cargo de chefia por 5 anos incorpora o salário de chefe para o resto de sua carreira, mesmo que volte a ocupar o cargo original. Assim, ele pode incorporar diversas chefias ao longo de sua carreira, podendo chegar a distorções e supersalários.


7. Dedicação exclusiva para profissionais da educação será extinta?

Não, o benefício da dedicação exclusiva será mantido para os profissionais que atuam em salas de aula.


8. O Plano de Cargos, Carreiras e Salários será extinto?

O PCCS dos servidores municipais de Florianópolis será suspenso. De acordo com as finanças do município, não há viabilidade nenhuma de implantar os aumentos salariais previstos no plano neste ano de 2017. Tanto que o ex-prefeito, que assinou o plano, não cumpriu o estabelecido. De acordo com a Secretaria da Fazenda, a folha salarial sofreria um incremento de cerca de 30% no seu custo. Ou seja, se a Prefeitura já não consegue pagar a folha atual, com um incremento ficaria ainda mais inviável.


9. O servidor municipal ficará sem PCCS?

Não, o projeto que pede a suspensão do Plano também estipula um prazo de 12 meses para que a Prefeitura e Sindicato construam um plano viável de acordo com a situação financeira e que possa estimular o servidor nas suas carreiras.


10. A Prefeitura só está cortando dos servidores?

Não, a Prefeitura está economizando em todos os contratos. Carros alugados e celulares foram devolvidos e todos os contratos foram contingenciados em 30%, com exceção de saúde e educação que já têm dificuldades em se manter com o quadro atual.


11. A Prefeitura vai manter o quadro de comissionados e de terceirizados?

Não, o pacote de medidas também prevê uma grande redução de cargos comissionados e secretarias municipais, visando economizar recursos públicos e otimizar o trabalho das secretarias. Durante o mandato, serão economizados 20 milhões de reais, R$ 5 milhões ao ano. Quanto aos terceirizados, assim como em todos os contratos, o prefeito também determinou a redução dos cargos no município.


12. A Prefeitura não vai cobrar os “grandes devedores”?

Sim, a prefeitura encaminhou projeto de lei que visa otimizar a cobrança dos grandes devedores do município. Em paralelo, a procuradoria do município também pediu a indisponibilidade de bens de todos eles.


13. Se a Prefeitura cobrar os grandes devedores, poderá manter os benefícios de servidores?

A cobrança de devedores não vai diminuir a folha de pagamento que deve chegar a R$ 1 bilhão neste ano. Ou seja, mesmo que a prefeitura consiga um dinheiro de imediato, esse recurso é atemporal, não virá todo mês para custear folhas de pagamento.


14. Afinal, qual a situação financeira da Prefeitura de Florianópolis?

A atual gestão herdou uma dívida municipal de cerca de R$ 1 bilhão. Destes, cerca de R$ 600 milhões são dívidas a curto prazo, ou seja, devem ser pagas neste ano de 2017.


15. Fora a dívida, a Prefeitura se mantém com o que arrecada?

Não, as despesas da prefeitura são maiores que sua arrecadação. O município deve investir com folha de pagamento cerca de R$ 1 bilhão em 2017 e mais R$ 550 milhões para custeio (alugueis, luz, convênios, contratos diversos). Ou seja, se não implantar o pacote de medidas para economizar, a Prefeitura terá um gasto de R$ 1,5 bilhão em 2017 contra uma arrecadação prevista de R$ 1,3 bilhão. Dessa forma, mesmo que a prefeitura não tivesse nenhuma dívida, já sairia no prejuízo em R$ 200 milhões só neste ano.

Fonte: PMF - This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License - Título meu.

Em tempo, neste link http://www.cmf.sc.gov.br/agenda/sessoes-plenarias você pode ler as mensagens do executivo para o legislativo previstas para serem votadas nesta terça-feira (24).

Matriz curricular e relações étnico-raciais

Foto: recebida via rede social
Aqui fica o registro da entrega do documento produzido pela prefeitura municipal de Florianópolis de orientação ao trabalho do professor frente à educação da relações étnico-raciais.


O documento "Matriz curricular para a educação das relações étnico-raciais na educação básica" disponível para download é uma importante referência ao trabalho docente.

Publicado no final de 2016 espero que seja, de fato, um documento que possa ajudar a rede municipal de ensino de Florianópolis na conquista da igualdade para todos, respeitando as diferenças.

Os desafios são muitos, mas o desejo (e a necessidade) de mudança e maior.

GREVE: A CONTRAPROPOSTA DO EXECUTIVO

Faço aqui a reprodução do comunicado do Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis).

Segue a nota:

COMUNICADO IMPORTANTE: Contraproposta do Executivo e Assembleia na segunda (23/1)
Sintrasem
sábado, Janeiro 21, 2017 - 17:45

No final dessa sexta-feira (20/01) a direção do Sintrasem se reuniu com o comando de greve para juntos analisarem a contraproposta encaminhada pelo Executivo à comissão de negociação neste mesmo dia. Após análise e discussão consideramos a proposta apresentada insuficiente e por isso indicamos sua rejeição pela categoria na Assembleia de segunda-feira (23/01) às 13h30 na Praça Tancredo Neves.

A resposta apresentada pelo Executivo não resolve o problema da mensagem 02/17, PLC 1591/17, que retiram nossos direitos. Não podemos avalizar a retirada de nossos direitos proposta pelo Prefeito Gean Loureiro e os vereadores da base do governo. Temos que manter a posição de retirada dos projetos da CMF. Por nenhum direito a menos!

A categoria está em luta! Vamos confrontar os vereadores submissos ao Prefeito que querem destruir nossa carreira e o serviço público! PELA RETIRADA DO PACOTE DE MALDADES DO PREFEITO GEAN LOUREIRO!
Atenciosamente, Comando de Greve PMF.

(Nas imagens, a proposta recebida do Executivo e analisada pelo comando a ser discutida na Assembleia do dia 23/01 às 13h30 na Praça Tancredo Neves)


Originalmente publicado em http://www.sintrasem.org.br/content/comunicado-importante-contraproposta-do-executivo-e-assembleia-na-segunda-231


Em tempo socializo também um vídeo que o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, publicou em uma rede social com a intenção de explicar a necessidade de suspensão do PCCS (Plano de cargos e carreiras do quadro civil).

Diz o prefeito na legenda do vídeo "Hoje eu inicio uma série de vídeos explicando as medidas que mandamos para a Câmara para reduzir custos e viabilizar as Finanças da Prefeitura. Começo desmentindo alguns boatos e explicando o PCCS".


Você acha que a única alternativa do prefeito é mesmo a suspensão do PCCS? Essa medida irá resolver o imbróglio econômico financeiro em que supostamente a prefeitura de Florianópolis se encontra? Deixe sua opinião nos comentários do site e ajude a entender os dois lados dessa moeda enferrujada. 

Incrições para o Sisu começam na terça-feira; consulta já pode ser feita no site


As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começam esta semana, do dia 24 ao dia 27 de janeiro. As vagas já estão disponíveis e os estudantes podem aproveitar o final de semana para pesquisar as melhores opções.


A consulta pode ser feita no site do Sisu por curso, instituição e município. Ao todo, são 238.397 vagas 131 instituições públicas.

O Sisu seleciona os estudantes com base na nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota zero na redação do exame. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.

Nota de corte 

Após a abertura das inscrições, uma vez por dia, são divulgadas ao notas de corte de cada um dos cursos, tanto pelo sistema universal quanto pelo sistema de cotas.

O candidato também pode consultar, em seu boletim, a sua classificação parcial na opção de curso escolhido. Ao final do período de inscrição, é divulgada a lista de selecionados. No boletim de acompanhamento, o candidato pode consultar sua classificação e o resultado final. Ao longo do período de inscrição, o candidato pode mudar as opções de curso.

O Ministério da Educação (MEC) ressalta que o tanto a classificação parcial quanto a nota de corte são calculadas a partir das notas dos candidatos inscritos na mesma opção. Portanto, são apenas uma referência, não sendo garantia de seleção para a vaga ofertada.

O resultado será divulgado no dia 30. O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular para as vagas poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.

Fonte: EBC - publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil

O PODER DE UM JOVEM [USO PEDAGÓGICO]





O poder de um jovem é um filme que retrata a África do Sul na primeira metade do século 20. Trata-se da história de um jovem que aos 18 anos de idade se cansa de tanta injustiça e se levanta como uma ativista anti-apartheid. Com Morgan Freeman num fantástico papel de presidiário conhecedor da arte do boxe o poder de um jovem é um filme com grandes possibilidades pedagógicas. Há muitas possibilidades pedagógicas na discussão deste filme. Como ele possui um forte enredo histórico, abre-se a possibilidade de uma análise interdisciplinar com a História e a Geografia. Elementos como a geografia da África do Sul, bullyng, questões raciais, reflexos da Segunda Guerra Mundial na África do Sul e Apartheid são algumas das possibilidades para se abordar com a análise deste filme.

Estudantes já podem consultar vagas do Sisu; inscrições começam dia 24

Sisu seleciona estudantes com base na nota no EnemArquivo/Agência Brasil


O Ministério da Educação abriu hoje (19) a consulta de vagas que serão ofertadas em universidades e institutos federais e instituições estaduais por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A consulta pode ser feita no site do Sisu por curso, instituição e município. Ao todo, são 238.397 vagas 131 instituições públicas.


As inscrições serão abertas feitas na semana que vem e poderão ser feitas do dia 24 ao dia 27 de janeiro. O resultado será divulgado no dia 30. O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro.

Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular para as vagas poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.

Notas

O Sisu seleciona os estudantes com base na nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota zero na redação do exame.

Fonte: EBC - publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil

Carta aberta à população de Florianópolis

Sintrasem publica carta aberta à população de Florianópolis.


do sintrasem: originalmente publicado em <http://www.sintrasem.org.br/content/carta-aberta-à-população-de-florianópolis> Acesso em 12/01/2017.
Reprodução: Sintrasem


Sem qualquer forma de diálogo, o prefeito Gean Loureiro (PMDB) está tentando aprovar 40 projetos de lei que abrem caminho para o fim do serviço público e a entrega do patrimônio público de Florianópolis para os ricos. Eleito fingindo ser mudança, o prefeito é mais do mesmo: governa para seus interesses, pouco se preocupando com as consequências para a população. Como solução da prefeitura, prefere cortar do público ao invés do lucro de seus parceiros.

Gean afirma que a culpa do suposto rombo financeiro da prefeitura é dos servidores. É mentira! Como já vem denunciando desde a última gestão, o Sintrasem expõe os verdadeiros culpados: a isenção e perdão de dívidas para ricos e grandes devedores; os contratos milionários inúteis e sem transparência; os desvios (como a Ave de Rapina), interesses escusos, nomeações de comissionados e troca de favores.

Precisamos nos unir e lutar contra esses projetos do prefeito ou todos vamos sofrer as consequências! A ideia de Gean Loureiro é acabar com o serviço público, deixando a população na mão, sem nada! Tudo está em risco, dos postos de saúde às creches, das covas em cemitérios ao asfalto das ruas e a coleta de lixo! A conta dos problemas da prefeitura não pode cair nas costas do povo! Vamos juntos lutar contra isso!

Resumo da Assembleia do Sintrasem de 11/01/2017

Trabalhadores do mundo, uni-vos!



O texto acima (extraído de uma rede social) Expressa as angústias de um trabalhador na rede hoteleira de Pirenópolis-GO, uma cidade do interior de Goiás.

O texto me leva a pensar em como os trabalhadores, de todos os setores econômicos, estão sendo massacrados por um sistema injusto, perverso e que sobrevive pela exploração da força de trabalho do Homem.


Responderia às angústias desse trabalhador expresso nas empíricas observações aliadas às suas práticas e vivências que tem um velho barbudo que já falava dessa relação de classes.

Minha dúvida em relação ao seu relato, muito perspicaz por sinal, é o fato de que ele aponta que o turismo nesta cidade remunera o trabalhador com um "salário gordo" (eu entendi deste modo), o que seria um "salário gordo"?

Há alguns elementos para análise de seu texto como mais valia, lucro, direitos trabalhistas, entre outros. É difícil realizar uma discussão desta envergadura nesta rede social (tem muito cabeça dura, que verborreia e sai correndo e, outros tantos, que para justificar sua própria condição de explorador (seja por realidade ou por desejo reprimido) defende o indefensável, ou seja, a exploração humana, a concentração de riqueza e a crença de que as coisas são como são e é por isso que assim são.

Enfim, penso que um começo para combater essa exploração é a organização entre os trabalhadores (pensando alto - um sindicato dos trabalhadores da atividade turística da cidade), mas lembre-se que não é somente nesta área que a exploração acontece.

O outro lado desta mesma (enferrujada) moeda são os ataques aos direitos que os trabalhadores foram conquistando ao longo da história. Muitas dessas conquistas ainda não são respeitadas, ou será que todos os trabalhadores que atuam no turismo, Brasil adentro, possuem carteira de trabalho devidamente assinada e com todos os direitos previstos sendo pagos? Se isso ocorresse será que o trabalhador faria uma jornada de 16 horas de trabalho ininterruptos, como dito no relato?

Estamos caminhando para um cenário onde o trabalhador, como bem colocado no texto acima, está vivendo uma espécie de "escravidão moderna". E como os ataques não param seremos trabalhadores sem direito, inclusive, ao descanso da aposentadoria.

Não há outra saída: "Trabalhadores do mundo, uni-vos!"

Prefeitura de Florianópolis define cronograma para pagamento dos salários de dezembro


O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, definiu na tarde desta segunda-feira, 09 de janeiro, o cronograma para pagamento dos salários atrasados dos servidores municipais referente ao mês de dezembro de 2016, não pagos pela administração anterior. Já em relação ao salário de janeiro, a prefeitura garante o pagamento integral, e sem atrasos, no dia 02 de fevereiro.

A próxima parcela referente aos salários de dezembro será paga no dia 11 de janeiro, próxima quarta-feira. Será repassada mais uma parcela, de no máximo R$ 4.500, para os 4.300 servidores que ainda não receberam o salário integral de dezembro. Portanto, aqueles que recebem até R$ 8 mil (R$3,5 mil já repassados + R$ 4,5 mil que serão repassados) terão seus salários quitados. Com isso, de acordo com a Secretaria da Fazenda, restarão apenas 850 servidores a receber, entre ativos e inativos.


No dia 02 de fevereiro, quando a prefeitura repassará, em dia, o salário integral de janeiro, os servidores que recebem até R$ 12 mil terão seus salários de dezembro quitados também, restando apenas 83 servidores a receber. A última parcela ficará para o dia 02 de março, quando os servidores que recebem acima de R$ 12 mil vão receber o restante dos seus salários de dezembro.

Segundo o prefeito Gean Loureiro, foi montada uma grande operação para conseguir definir os pagamentos, já que a Prefeitura acumula uma dívida de mais de R$ 1 bilhão, herdada da gestão anterior. “Estamos agindo sempre com planejamento, para não comprometer folhas de pagamento de outros meses. Queremos fazer uma gestão responsável, primando sempre pelos salários em dia”, concluiu Gean.

Fonte: PMF - This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License

Vai ter greve? - Florianópolis: Primeira Assembleia do Ano.


Por chamada do Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Publico Municipal de Florianópolis), foi realizada nesta quinta-feira (5) a primeira assembleia dos funcionários da prefeitura municipal de Florianópolis (PMF).

A grande questão dos debates ocorridos nesta tarde quente do verão florianopolitano foi o não pagamento dos salários dos aposentados da PMF e o parcelamento dos salários e não pagamento das férias dos funcionários da ativa.

Mesmo em período de férias na educação muitos professores compareceram na assembleia e puderam ouvir que a situação não é muito favorável e que prazos que vinham sendo dados para o pagamento dos salários (e que não foram cumpridos) já não eram mais assumidos oficialmente pela nova administração municipal, sendo que os dados apresentados para os participantes da assembleia foram repassados ao sindicato por telefone, ou seja, não havia nenhuma comunicação por escrito.

A possibilidade de uma greve não foi descartada e as discussões giraram entre entrar em greve imediatamente, ainda no dia 5, ou ficar em estado de greve até a próxima assembleia - prevista para dia 11/01 - um dia após o prazo solicitado pela PMF (não oficializado) para quitar a folha de dezembro dos funcionários.


Os funcionários da Comcap (Companhia de Melhoramentos da Capital) responsável, entre outras coisas, pela coleta de lixo da capital, receberam em dia seus salários. Uma boa cartada já que uma greve dos coletores de lixo, em plena temporada de verão, não ia ser muito positivo para um início de mandato.

Outro tema que foi apontado na assembleia foi o aumento do valor das passagens de ônibus, que se confirmado, deixaria Florianópolis com a segunda passagem mais cara entre as capitais brasileiras.

A situação não está confortável para ninguém e o risco do ano letivo não iniciar em 2017 na data prevista é real.

Você acha que a PMF vai conseguir cumprir com suas obrigações financeiras para com os funcionários? O não pagamento dos salários é realmente uma falta de dinheiro ou uma questão de prioridade do executivo municipal? A greve é necessária? Deixe sua opinião nos comentários do site.

PMF fora do ar

É estranho, mas desde o início da tarde de hoje (04) o site da prefeitura municipal de Florianópolis (PMF) não está no ar.

Sem nenhuma informação sobre o que possa estar acontecendo o site da PMF saiu do ar e não está disponível, pelo menos, desde o início da tarde desta quarta-feira.

Com problemas em caixa e com atrasos no pagamento de salários e férias de servidores a PMF pode ter sofrido outro golpe (ainda não esclarecido) que fez com que seu site ficasse fora do ar.

O sindicato dos funcionário da PMF marcaram para amanhã (05) uma assembleia para tratar dos Salários atrasados, com encaminhamento de deliberação de greve.

Quem está reclamando da temperatura em Florianópolis nestes dias de verão, nem imagina como ficará a temperatura quando os funcionários da educação retornarem de suas férias e a situação salarial não estiver resolvida.

Você já leu o PPP

Fim de férias



Vou retornar aos trabalhos hoje. Mesmo com a universidade em férias eu retomo os trabalhos de estudo para adiantar a pesquisa. Depois do recesso entre natal e passagem de ano retomo os trabalhos para que, quem sabe, eu possa tirar uma breve semana de real descanso em um período não tão concorrido como na alta temporada de verão.

Junto com os estudos vou escrever um projeto de aulas já com olhos para 2018. Esse 2017 vai ser um grande laboratório, tenho que organizar o tempo para que possa aproveitar o máximo possível deste ano.

#PartiuEstudos

É justo! 

Postagens mais visitadas