Pular para o conteúdo principal

Eleições para diretores de escolas

ELEIÇÕES PARA DIRETORES DE ESCOLAS

Oi meu nome é Santiago Siqueira e sou professor de geografia.
Estou afastado das atividades docentes por conta da minha formação, mas continuo muito atento ao que acontece tanto na escola onde trabalho (além de professor sou pai de aluno), como nas escolas Brasil a dentro, pois a educação está entre minhas prioridades.

As escolas municipais de Florianópolis estão passando por esse importante processo de escolha de diretores e vou colocar aqui minha opinião. Minha opinião não reflete, necessariamente a opinião da Secretaria Municipal de Educação ok.

As eleições para diretor em uma escola pública, ao meu ver, é um processo muito importante. Eu vejo essas eleições como um momento extremamente rico para a aprendizagem de todos os envolvidos neste agrupamento escolar (o termo comunidade escolar me incomoda um pouco então vou usar a expressão agrupamento escolar para falar de alunos, funcionários e pais e ou responsáveis pelos alunos, ou seja, todos que, de algum modo estão ligados a uma determinada unidade educativa).


Ao dar direto de escolha para esse agrupamento escolar eleger o diretor de uma unidade educativa a escola proporciona um momento muito importante revelando o quão é significativo a democracia dentro do espaço escolar.
No caso específico onde trabalho votam as famílias (um voto) os funcionários da escola e claro os alunos (do 5° ao 9° ano).

Eu sempre defendi que as escolas apresentassem dois ou mais candidatos, não pela disputa em sí, mas pela oportunidade que o momento oferece aos alunos de compreender o processo democrático da escolha. O que observar? Como escolher? Como analisar e principalmente, como participar da construção de uma proposta para sua escola?

Claro que nesse meu plano ideal de eleições para diretor de uma escola os candidatos abrem mão de suas posições políticas de seus projetos individuais de vida e qualquer outro sentimento que possa sobrepor o interesse pedagógico do momento.

Imagino candidaturas que orientem os alunos, inclusive, para escolhas futuras dos representantes no parlamento municipal, estadual e federal bem como a representação no executivo.

Em que outro local, se não na escola, uma criança com onze anos de idade pode escolher um representante, um dirigente e mais do que isso em que local ele terá a chance de compreender a importância que seu voto terá?

Como demonstrar para esse estudante (pais e funcionários) que sua escolha deve ser feita com responsabilidade e certo grau de consciência? Que ele não está escolhendo somente um diretor e sim que ele está escolhendo o caminho que a escola deve trilhar, mas sobretudo, que ele irá caminhar junto.

Deste modo os debates, as discussões e principalmente o respeito ao contraditório deve ser perseguido em todo o processo.

Como professor eu não posso votar, pois estou afastado da escola, mas posso votar como pai e é evidente que também faço as minhas escolhas.

Porque faço questão de divulgar meu apoio ao candidato A ou candidato B? Penso que isso estimula o debate. Mas deve ser um debate qualificado e penso que não se pode qualificar um debate falando mal do outro candidato e sim sendo fiel às ideias e à escola que acreditamos ser a melhor para todos.

Quando deixei público minha escolha, para este momento, minha intenção foi poder responder aos colegas e alunos os motivos de minha escolha.

E essa é a minha sugestão, converse com seus pais, com seus colegas, com seus professores. Aproveitem o momento para debater sua escola. Respeitem a opinião contrária, aceitem que seu colega de sala tenha uma opinião diferente da sua, se quer convencê-lo de que você está certo, faça-o no campo das ideias, do bom argumento.

Se você conseguir passar todo esse processo sabendo respeitar a diversidade de pensamento e a opinião do seu colega, certamente, independente de qual candidato ganhar, sua escola já estará no caminho certo.


Boa sorte para todos e defendam a democracia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diário de Classe

IMPORTÂNCIA DO PREENCHIMENTO CORRETO DO DIÁRIO DE CLASSE
O Diário de Classe é um documento oficial da Unidade Escolar e um instrumento de responsabilidade do PROFESSOR com a finalidade de registrar e documentar a frequência e o aproveitamento individual do aluno regularmente matriculado. É também, o documento de controle e confirmação do trabalho do professor e dos alunos. Devido à sua importância, deverá ser preenchido somente pelo professor de forma cuidadosa, sem rasuras e à caneta. ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR REFERENTES AO DIÁRIO DE CLASSE - Preencher o diário de classe de acordo com as aulas ministradas, conforme as orientações estabelecidas no Regimento Interno da U.E.; - Garantir a clareza e a sequência lógica nos registros dos conteúdos de forma que seja possível identificar a relação entre o diário de classe e o planejamento pedagógico; - Lançar os registros diariamente; - Preencher o diário com letra legível, sem erros ou rasuras; - Não fazer registros a lápis no diário…

Sorriso e Silêncio

A mensagem acima, eu li em um perfil de uma rede social. Fiquei pensando sobre os problemas da simplificação da mensagem que aponta para a ideia de que o silêncio é uma maneira de se evitar os problemas.
Penso que estamos onde estamos por enfrentar os problemas e não evitá-los. As doenças sempre foram um problema para a humanidade e as enfrentamos, a gravidade foi, num passado próximo, um problema e hoje temos satélites em órbita porque ela foi enfrentada e não evitada. 
Na verdade o problema não é, em última análise, o problema. Ademais, quando da existência de um problema, o sorriso não me ajuda muito a resolvê-lo. 
Bons livros, horas de pesquisa e muita dedicação sim, pode me ajudar a resolver um problema.
Sobre o silêncio, outro equívoco, o silêncio não é a maneira de evitar os problemas, pelo contrário, o silêncio pode causar muitos problemas. Vocês lembram do Holocausto? Fruto da loucura de uns e do silêncio de outros.
Uma possível correção da legenda na mensagem acima seria, não fiq…