Professores da UFPE fazem paralisação contra a PEC 241




Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aderiram à paralisação nacional “em defesa da educação, do SUS e dos direitos trabalhistas”, e fazem uma paralisação de 24 horas, hoje (25), contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita gastos do poder público, e deve ser votada hoje em segundo turno pela Câmara dos Deputados.
A decisão foi tomada durante assembleia da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), realizada no dia 11 de outubro. O percentual de adesão dos professores da UFPE à greve ainda não foi divulgado pela Adufepe ou pela universidade.
Em nota divulgada pela entidade, a proposta é chamada de “PEC da Maldade e PEC dos Desmontes”. Segundo o texto, “a medida é um ataque direto aos direitos constitucionais (adquiridos em anos de lutas) e ao cerne do papel social do Estado – refletindo nas políticas públicas para a saúde, educação e, por fim, aos serviços sociais”.

A categoria também se coloca contra a Medida Provisória (MP) 746, que reforma o Ensino Médio, e a PLC 54, que renegocia a dívida dos estados com a União, mas condiciona a repactuação à adequação de investimentos no setor público. “A Adufepe repudia veementemente qualquer projeto de lei que vem com o objetivo de reduzir o Estado Brasileiro”, conclui a nota.
Os docentes avisam ainda que não descartam a possibilidade de participar de uma greve geral dos servidores públicos federais, convocada pelas centrais sindicais para o dia 9 de novembro.
Estudantes mobilizados
Hoje de manhã estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) que ocupam o campus de Vitória de Santo Antão, no interior do estado, realizaram uma manifestação na cidade contra a PEC 241. O ato ocorreu em conjunto com alunos do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE).
Ontem, estudantes da UFPE fizeram um protesto na BR-101 contra a PEC 241, em frente a reitoria da universidade. Nessa e em outras instituições parte dos prédios está ocupada pelos alunos também contra a proposta que tramita no Congresso Nacional.
No dia 17 de outubro começou a ocupação em Vitória de Santo Antão. No dia 20 foi a vez dos discentes da Universidade de Pernambuco (UPE) ocuparem o prédio da reitoria, no Recife.
No Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) já existem acampamentos contra a PEC nos campi de Recife, Pesqueira, Ouricuri, Petrolina e Olinda.
Com informações da EBC – publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado.


*