Cheque em branco




Cheque em branco Lindbergh, assim como a senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) e alguns deputados, destacou ainda que a argumentação a favor do impeachment foi baseada no argumento da responsabilidade fiscal. 
Disse estranhar que, apenas uma semana depois da abertura do processo contra Dilma, o Congresso seja chamado a decidir sobre uma ampliação do deficit para R$ 170,5 bilhões, limite 300% maior em relação ao proposto por Dilma. Isso sem que exista, na sua visão, claros indicativos sobre o nível de queda das receitas e sem que o governo atual explique como pretende utilizar margem de gastos tão maior. 
— Os senhores estão dando um cheque em branco. Um cheque para ampliação de gastos, não como a Dilma fez, que foi para ampliar programas sociais. Infelizmente, agora os senhores estão dando um cheque em branco para pagar a conta do impeachment, com negociação com parlamentares, governadores e empreiteiras. É para isso que quero chamar a atenção dos senhores — argumentou.

Jornal do Senado, Brasília, quarta-feira, 25 de maio de 2016.




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado.


*