Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

A formação do professor de Geografia na UFSC

Anarriê! Será esse nosso Brasil agrário?

Anarriê, sala de aula. Recebi um convite que me causou estranhamento. O recado da imagem acima me causou espanto não pelo fato da "festa junina" estar acontecendo em julho. Nem mesmo pelo fato de que a escola (espaço público) venderá comidas (ação capitalista) para os pais. Certo, eu sei que isso é "praxe" e que várias justificativas poderiam ser dadas em defesa do comércio em escola pública, mesmo assim, respeitando as opiniões em contrário, prefiro neste momento, continuar defendendo uma outra escola.
Voltando ao convite o que salta aos olhos é o fato dos alunos terem que comparecer a caráter, vestidos de "jeca". Minha dúvida: qual é a representação, para uma criança em formação, se "transformar" de forma estereotipada em jeca? O quê ou quem é o jeca? O que ele representa ou o que querem que ele represente?
Será esse nosso Brasil agrário? É importante refletir sobre as representações desse Brasil rural inclusive, as influências francesas destas f…

A privatização do bônus e a socialização do ônus

As imagens acima mostram uma realidade de muitas cidades brasileiras. Aspectos de uma sociedade capitalista que ainda não compreendeu o conceito embutido na palavra cidadania.
Lugar: Servidão Coruja Dourada, uma rua da capital de Santa Catarina, um dos estados mais ricos do Brasil. Por que dizer isso? Para entender que cidadania não se trata de riqueza material e sim, riqueza intelectual.
O problema aqui (visível) é o lixo, ou serias as pessoas que o produzem? Ou, no caso, o problema seria outro?
Esta foto foi tirada no último domingo (19), até aí tudo certo, não fosse o detalhe de que nesta servidão (rua) a coleta de lixo convencional só é feita nas segundas, quartas e sextas. Sendo que os moradores devem depositar seu lixo apenas nos dias de coleta e o mais próximo possível do horário de passagem do caminhão coletor.
Observo que, além do problema do não cumprimento ao dia e horário de coleta de lixo, existe o problema do dimensionamento da lixeira que, além de visivelmente não suportar …

Um olhar para a especulação imobiliária

A especulação imobiliária possui várias facetas, algumas de difícil análise. Contudo, uma delas pode ser compreendida pelas imagens abaixo onde terrenos (reserva de valor) são postos à venda.
Na região do Campeche em Florianópolis-SC alguns terrenos aumentam o preço quase que na mesma proporção que aumenta o mato.
Entre o período de valorização e a concretização de uma venda o mato dominante nos terrenos invadem as ruas, não bastasse isso, esses terrenos que possuem um "dono" para a ótica do capital parece não possuir um dono no campo social.
São as pessoas que sentem, em suas relações cotidianas com o lugar, as dificuldades provocadas pela ausência do (poder) público e a presença da (individualidade) do privado.
No Campeche é comum em terrenos baldios, à venda ou não, a falta de calçadas para pedestres. Além da falta de calçadas o mato invade as ruas e toda essa mistura resulta em lucros e, contraditoriamente, prejuízos. A questão é quem recebe o quê?


5 anos do Estatuto da Igualdade Racial

O Estatuto da Igualdade Racial, Lei 12.288/2010, completa cinco anos de vigência nesta segunda-feira (20), com desafio de equiparar direitos e superar o racismo, segundo especialistas. Em 65 artigos, o estatuto abrange diversas áreas como cultura, esporte, saúde, moradia, religião e comunicação. Mas, para que a norma seja efetivada, é preciso atuação de órgãos federais, estaduais e municipais, além da participação do setor privado.
Os negros são, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, mais da metade da população brasileira, 52,9% – soma daqueles que se declaram pretos e pardos. A porcentagem, no entanto, não se repete em espaços acadêmicos. De um total de 387,4 mil pós-graduandos, 112 mil são negros – menos da metade dos 270,6 mil brancos. Também não se mantém na Câmara dos Deputados, onde quase 80% dos deputados se declararam brancos, tampouco nos meios de comunicação.
Fonte:Agência Brasil (Editado)

Para discutir território, soberania e ambiente

General faz alerta sobre soberania na Amazônia

Em audiência pública ontem na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, alertou para riscos de enfraquecimento da soberania do Brasil sobre a parte nacional da Amazônia, referindo-se a situações que limitam a autoridade do país sobre decisões estratégicas para o desenvolvimento equilibrado da região.
Como exemplo, citou recente proposta do presidente da Colômbia, Luiz Manoel dos Santos, de criar um corredor ecológico na Amazônia, dos Andes até o Oceano Atlântico, compreendendo a Amazônia brasileira. O objetivo é levar a ideia para a próxima reunião da Conferência de Mudanças Climáticas (COP-21). Toda a extensão do corredor ficaria intocada, sem exploração de riquezas — estimadas em mais de US$ 230 trilhões.
Para o general, que imputou a ideia à entidade Gaia Internacional, pode-se conciliar preservação e uso de riquezas: — Esse processo [radicalismo pela pres…

Elevar punição de menor é erro, diz ministro

Para especialistas presentes a audiência, a crença da população de que os menores infratores não são punidos decorre do desconhecimento das medidas previstas no ECA

Elevar punição de menor é erro, diz ministro

O ministro da Secretaria de Direitos Humanos, Pepe Vargas, disse ontem que é um equívoco tentar resolver o problema da segurança pública com aumento de punições aos menores. A declaração foi feita durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), na qual foi apresentada pesquisa do DataSenado que mostrou apoio de 85% dos entrevistados à redução da maioridade penal.

— Achar que só aumentar penalidades vai resolver o problema de segurança é profundamente equivocado. Tem que ter uma abordagem mais ampla para haver mais efetividade — alertou o ministro.

O aumento da punição para jovens infratores é tema de proposições que tramitam no Congresso, como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/1993, que reduz a maioridade penal, aprovada em pri…

Rádio Senado mostra que crianças iam para a cadeia no Brasil até os anos 20

Quando assinou o Código de Menores, em 1927, o presidente Washington Luiz não poderia imaginar que um dos pontos daquela lei seria alvo de exaltados debates quase 90 anos mais tarde. Foi o Código de Menores que fixou a maioridade penal em 18 anos. O país agora discute se deve ser reduzida para 16.
Hoje, às 18h, a Rádio Senado transmite a reportagem especial “Quando as nossas crianças também iam para a cadeia”, que conduz os ouvintes a uma viagem na história.  
Até 1927, a Justiça era inclemente com os pequenos infratores. Pelo Código Penal de 1890, crianças podiam ser levadas aos tribunais a partir dos 9 anos. Até o código, os pequenos delinquentes eram atirados na cadeia e dividiam cela com bandidos adultos.
A Rádio Senado chega a dez capitais. Os programas são distribuídos para mais de 2 mil emissoras no país e podem ser ouvidos na internet (www.senado.leg.br/radio).
ˆApresentação: Hoje, às 18h - Reprise: Amanhã, às 10h, e domingo, às 17h

Fonte: Jornal do Senado. Brasília, sexta-feira, 1…

Venezuelano será confirmado amanhã na presidência do Parlasul

Saúl Ortega já ocupava a presidência interina do Parlamento, que enfrenta problemas de orçamento por falta de aporte financeiro
Sob a presidência da Venezuela, o Parlamento do Mercosul (Parlasul) retoma as atividades amanhã, em Montevidéu, no Uruguai. A decisão foi tomada ontem pela Mesa Diretora do Parlamento, em reunião em Brasília, antes da Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, também marcada para amanhã. Logo após a posse dos representantes indicados pelos países-membros, será ratificado acordo que garante a permanência do atual presidente interino, o venezuelano Saúl Ortega, à frente do Parlasul até o início de 2016.
É a primeira vez que não haverá coincidência de nacionalidade entre as presidências do Mercosul e do Parlasul. Até então, os países se alternavam no comando dos dois órgãos a cada seis meses. No caso do Mercosul, que a partir de amanhã será liderado pelo Paraguai, continua o rodízio a cada seis meses. No Parlasul, o mandato de presidente foi ampliado para um ano.
Na a…

Comissão de Educação volta a se reunir após recesso

A reunião de ontem da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) foi cancelada e adiada para a primeira semana de agosto, após o recesso parlamentar, que vai de 18 a 31 de julho. Na pauta da comissão, constam o Projeto de Lei do Senado (PLS) 214/2010, que institui o Programa Bolsa de Permanência Universitária, e o PLS 531/2011, que prevê a contratação de seguro como condição para participação de atletas e treinadores de futebol em competições. A Comissão de Educação é presidida pelo senador Romário (PSB-RJ).
Fonte: Jornal do Senado. Brasília, quinta-feira, 16 de julho de 2015.

Senadores tentam pôr fim a greve nas federais

Audiência pública ontem na Comissão de Direitos Humanos pôs frente a frente representantes do Ministério da Educação e dos funcionários das universidades públicas
Ontem, em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), representantes do Ministério da Educação (MEC) e de entidades dos trabalhadores do ensino deram continuidade às negociações visando ao fim da greve que atinge as universidades federais desde 28 de maio.
Ficou acertado, segundo o diretor de Políticas e Programas de Educação Superior do MEC, Dilvo Ristoff, que uma comissão de sindicalistas será recebida para tratar da pauta dos trabalhadores. Eles cobram principalmente a reposição das perdas salariais dos últimos anos e a implantação do plano de carreira aprovado há dez anos pelo Congresso.
Fátima Bezerra (PT-RN) se ofereceu para colaborar no entendimento, garantindo que a pauta tem o apoio da bancada de seu partido. Paulo Paim (PT-RS) e Regina Sousa (PT-PI) também participarão das negoc…

Senado aprova novas regras para criação e fusão de municípios

Projeto semelhante aprovado pelo Congresso foi vetado pela presidente em 2014. Senadores favoráveis disseram que texto não incentiva criação de municípios, apenas organiza o que existe. Contrários à proposta, que segue para a Câmara, apontaram falta de recursos do país
O Plenário aprovou ontem o Projeto de Lei do Senado (PLS) 199/2015 — Complementar, que regula a criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de municípios. O projeto vai à Câmara.
Outros dois projetos similares haviam sido vetados pela presidente Dilma Rousseff, por considerar a iniciativa prejudicial aos cofres públicos. No entanto, o autor da proposta, Flexa Ribeiro (PSDB-PA), disse que o projeto estabelece critérios rígidos para a criação de municípios e atende os interesses de muitos distritos que reivindicam emancipação.
Senadores favoráveis ao projeto alegaram que a proposta não libera, mas apenas organiza a criação de novos municípios, visto que a realidade do Sul e do Sudeste é diferente da de outras regiões…

Árvore

Compartilhando uma pequena árvore.

Mais de 30 mil pessoas já foram afetadas por chuvas na Região Sul do país

Mais de 30 mil pessoas foram afetadas pelos temporais que vêm atingindo a Região Sul do país desde a última sexta-feira, segundo as defesas civis dos três estados. A previsão é que as chuvas continuem hoje (15), com mais intensidade no Paraná e em Santa Catarina. O Instituto Nacional de Meteorologia, emitiu alerta de grande perigo para os estados devido ao acumulado de chuvas e risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, incidência de descargas elétricas e granizo.
No Paraná, 24.653 mil pessoas foram afetadas em 44 municípios, 248 estão desalojadas ou desabrigadas. Uma pessoa morreu e 71 ficaram feridas; mais de três mil casas foram danificadas e 11 foram destruídas.

O Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) confirmou ontem (14) a formação de um tornado na noite de segunda-feira (13) em Francisco Beltrão. Uma supercélula ganhou força e chegou ao município com intensidade compatível a tempestade extrema, configurando o mesociclone - ar que sobe e gira em torno de um eixo vertical …

Internação de menor pode subir para 10 anos

Senado aprovou mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente para criar regime especial no caso de delito equivalente a crime hediondo. Texto segue para a Câmara
Com 43 votos a favor e 13 contrários, o Plenário aprovou ontem projeto que amplia para 26 anos a idade máxima de internação em regime especial de atendimento socioeducativo para jovem que cometer crime grave. O texto também aumenta para até oito anos de reclusão a pena prevista para quem praticar crimes na companhia de menor ou o induzir ao crime.
Apesar de ter sido bastante discutido em comissões e em reuniões de líderes, a proposta provocou polêmica até o último instante. Antes da aprovação, foi rejeitado por 35 votos a 32 um requerimento para que o assunto continuasse sendo discutido em uma comissão especial.
Fonte: Jornal do Senado, Brasília, quarta-feira, 15 de julho de 2015. (editado).