Pular para o conteúdo principal

Revolução Industrial

Photograph
Durante a Revolução Industrial, pessoas inventaram teares que funcionavam com vapor …


Hulton Archive/Getty Images
Photograph
Antes da Revolução Industrial, as pessoas fabricavam roupas e outros produtos em …


The Granger Collection, New York
 

A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações na maneira como os produtos eram feitos. Ela aconteceu há mais de duzentos anos e afetou profundamente o modo de vida e de trabalho das pessoas. Antes dela tudo era feito à mão por elas. Todos trabalhavam principalmente em suas próprias casas ou em pequenas oficinas. Durante a Revolução Industrial, equipamentos foram inventados e foram erguidas muitas fábricas. Operários começaram a produzir bens em grande quantidade, usando máquinas acionadas por motores. A força do homem foi em grande parte substituída pela força das máquinas.

A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações na maneira como os produtos eram feitos. Ela aconteceu há mais de duzentos anos e afetou profundamente o modo de vida e de trabalho das pessoas. Antes dela tudo era feito à mão por elas. Todos trabalhavam principalmente em suas próprias casas ou em pequenas oficinas. Durante a Revolução Industrial, equipamentos foram inventados e foram erguidas muitas fábricas. Operários começaram a produzir bens em grande quantidade, usando máquinas acionadas por motores. A força do homem foi em grande parte substituída pela força das máquinas.

A Inglaterra foi o primeiro país em que essas mudanças se deram, tendo o processo começado no século XVIII. Mas em pouco tempo a Revolução Industrial se alastrou para outros países europeus, os Estados Unidos e o Japão.

Avanços

A Revolução Industrial começou na indústria têxtil. Antes disso, a produção de tecidos era um processo demorado. Depois de colhida a lã, ela tinha que ser fiada, para produzir um fio, e então tecida manualmente para formar o tecido. Em 1733, uma invenção chamada lançadeira volante facilitou o processo de tecelagem. Uma máquina de fiar com fusos múltiplos, inventada em 1770, facilitou o processo de fiação. Em 1793, Eli Whitney inventou uma máquina chamada descaroçador de algodão, que ajudava a limpar o algodão depois de colhido.

Foi também de Whitney a ideia das peças intercambiáveis. Até então, um trabalhador que fosse especializado em fazer um tipo de produto passava muito tempo fazendo um único produto à mão. Whitney descobriu que uma máquina podia produzir muitas cópias das partes individuais de um produto ao mesmo tempo; depois disso, as partes podiam ser montadas por qualquer trabalhador. Isso significava que muitos produtos podiam ser produzidos rapidamente. Em pouco tempo, fábricas passaram a ser erguidas para produzir esses artigos.

As fábricas e as máquinas dentro delas precisavam de fontes de energia. No início do século XVIII, algumas pessoas descobriram como construir motores a vapor. No final do mesmo século, James Watt inventou um motor a vapor capaz de acionar máquinas de fábricas.

Em pouco tempo a Revolução Industrial passou a abarcar todos os tipos de produção. Agricultores, por exemplo, começaram a inventar máquinas novas para arar a terra e semear suas plantações.

Com o aumento da produção, as pessoas não demoraram a sentir necessidade de uma maneira de transportar matérias-primas para a fabricação dos produtos, além de enviar os produtos acabados até os consumidores. Isso levou a avanços nos transportes. Robert Fulton aperfeiçoou o barco a vapor em 1807. Em 1825, George Stephenson pôs um motor a vapor sobre rodas e colocou as rodas sobre trilhos. O resultado foi uma ferrovia.

Impacto sobre a sociedade

No final do século XVIII, muitas pessoas não estavam mais conseguindo ganhar a vida no campo. A maioria delas se mudou de fazendas e vilarejos para cidades maiores, em busca de trabalho. As cidades cresceram, mas com frequência eram sujas, superlotadas e insalubres.

Embora as máquinas tivessem facilitado o trabalho sob certos aspectos, o trabalho nas fábricas criou muitos problemas para os operários. As máquinas aumentaram a produção. A produção de bens se tornou mais barata, e os produtos foram barateados. Os donos de fábricas enriqueceram. Os operários, entretanto, ganhavam pouco, e o trabalho muitas vezes era perigoso. Muitos operários trabalhavam entre 12 e 14 horas por dia. Homens, mulheres e até crianças pequenas trabalhavam nas fábricas.

A condição de vida das pessoas piorou. Os operários buscaram, então, conquistar condições de trabalho e salários melhores, organizando-se em sindicatos. Essas organizações ajudaram a criar leis que protegiam os trabalhadores, limitando o número de horas de trabalho e garantindo que os operários recebessem pagamentos determinados.


  • Fonte:
    Revolução Industrial. In Britannica Escola Online. Enciclopédia Escolar Britannica, 2013. Web,
    2013. Disponível em: <
    http://escola.britannica.com.br/article-481567>. Acesso em:
    07 de abril de 2013
    .

Comentários

  1. [...] sobre a Revolução Industrial -  Revolução industrial para 8ª série Esta entrada foi publicada em Capitalismo, Geopolítica e marcada com a tag Capitalismo, [...].

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!
Aproveite e visite o site www.geografiaescolar.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Diário de Classe

IMPORTÂNCIA DO PREENCHIMENTO CORRETO DO DIÁRIO DE CLASSE
O Diário de Classe é um documento oficial da Unidade Escolar e um instrumento de responsabilidade do PROFESSOR com a finalidade de registrar e documentar a frequência e o aproveitamento individual do aluno regularmente matriculado. É também, o documento de controle e confirmação do trabalho do professor e dos alunos. Devido à sua importância, deverá ser preenchido somente pelo professor de forma cuidadosa, sem rasuras e à caneta. ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR REFERENTES AO DIÁRIO DE CLASSE - Preencher o diário de classe de acordo com as aulas ministradas, conforme as orientações estabelecidas no Regimento Interno da U.E.; - Garantir a clareza e a sequência lógica nos registros dos conteúdos de forma que seja possível identificar a relação entre o diário de classe e o planejamento pedagógico; - Lançar os registros diariamente; - Preencher o diário com letra legível, sem erros ou rasuras; - Não fazer registros a lápis no diário…

Sorriso e Silêncio

A mensagem acima, eu li em um perfil de uma rede social. Fiquei pensando sobre os problemas da simplificação da mensagem que aponta para a ideia de que o silêncio é uma maneira de se evitar os problemas.
Penso que estamos onde estamos por enfrentar os problemas e não evitá-los. As doenças sempre foram um problema para a humanidade e as enfrentamos, a gravidade foi, num passado próximo, um problema e hoje temos satélites em órbita porque ela foi enfrentada e não evitada. 
Na verdade o problema não é, em última análise, o problema. Ademais, quando da existência de um problema, o sorriso não me ajuda muito a resolvê-lo. 
Bons livros, horas de pesquisa e muita dedicação sim, pode me ajudar a resolver um problema.
Sobre o silêncio, outro equívoco, o silêncio não é a maneira de evitar os problemas, pelo contrário, o silêncio pode causar muitos problemas. Vocês lembram do Holocausto? Fruto da loucura de uns e do silêncio de outros.
Uma possível correção da legenda na mensagem acima seria, não fiq…