Estado de guerra

Kim Jong-Un, líder supremo da Coreia do Norte
(petersnoopy / Creative Commons)

A Coreia do Norte declarou entrar  em "estado de guerra" contra a Coreia do Sul.

A Coreia do Norte vem ameaçando seus adversários com ataques quase diários, mas analistas não descartam o risco de guerra. O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnestm, disse que a retórica apenas aprofunda o isolamento do país comunista.

Os Estados Unidos condenaram a "retórica belicosa" dos norte-coreanos.

A Rússia advertiu que a troca de ameaças pode criar um "círculo vicioso". As Coreias do Sul e do Norte estão tecnicamente em guerra desde 1953 - quando a guerra acabou sem a assinatura de um armistício.

A tensão na península coreana aumentou desde que Pyongyang fez seu terceiro teste nuclear, em 12 de fevereiro - que resultou na imposição ao país de novas sanções internacionais.

Na quinta-feira (28/03/2013), a mídia da Coreia do Norte informou que o líder Kim Jong-un "decidiu que é hora de acertar as contas com os imperialistas dos Estados Unidos". Ele condenou o sobrevoou de aviões bombardeiros B-2 americanos - com capacidade de transportar armas nucleares - sobre a Coreia do Sul. Disse que os EUA pretenderiam iniciar uma guerra nuclear na península.

Pyongyang nomeou bases americanas no Havaí, Guam e Coreia do Sul como seus alvos potenciais. A mídia da Coreia do Norte exibiu imagens de milhares de militares e estudantes em uma manifestação de apoio às declarações de Jong-un.

Os EUA já haviam enviado aviões B-52 à Coreia do Sul no início do mês como uma resposta às ameaças de Pyongyang. Representantes da China e da Rússia fizeram um apelo pelo alívio das tensões na região.

Fonte: www.ebc.com.br

Editado por Santiago Siqueira – www.santiago.pro.br

Direitos autorais: Creative Commons - CC BY 3.0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!
Aproveite e visite o site www.geografiaescolar.com.br

Postagens mais visitadas