Quem ganha quando se fura fila no supermercado?

A conta é a seguinte: supermercado + verão + turistas + poucos caixas = muita fila. O resultado disso são lucros maiores para os supermercados e aumento da carga de estresse para os clientes.

Ontem em um supermercado de um shopping nas proximidades da UFSC, em Florianópolis, estava na fila do caixa rápido que por baixo deveria ter umas cinquenta pessoas a cada passo que eu dava para frente aumentava três pessoas atrás de mim. Hoje eu entendo para que servem aquelas câmeras que filmam o interior dos supermercados e as filas dos caixas é para o dono ficar olhando e contabilizando o seu lucro enquanto observa que com poucos caixas e a benevolência de seus clientes tudo fica melhor.

Voltando para a fila do caixa rápido (nem te falo como estava a fila dos caixas normais para carrinhos de compras) carregando minha cestinha de compras com (para os mais curiosos eram ingredientes para o almoço da família) quando uma mulher que não estava na fila se aproximou de uma outra que estava um pouco à minha frente e começou a conversar, riam uma para outra, comentava sobre o calor, falava de como a cidade estava cheia de turistas etc… a fila deu um passo à frente e a mulher continuou do lado da outra, deu outro passo e a mulher que não estava na fila entrou na fila logo atrás de sua amiga e como que para disfarçar (o indisfarçável) continuavam a conversar até que o silêncio veio e o terceiro passo foi dado já com a mulher na fila como se normal aquilo fosse.

Apesar de ter uma pessoa à minha frente entre a mulher (fura fila) e eu, não me contive e questionei a mulher se ela tinha a intenção de continuar na fila, emendando que para isso ela deveria ir para o final da mesma.

A senhora que estava na fila saiu e disse que estava guardando o lugar dela para a amiga. Ora, quem disse que lugar em fila de supermercado (ou qualquer outro local) virou propriedade particular que podemos vender, alugar ou transferir para outros? Lugar em fila agora é propriedade o que me dá o direito de repassar para quem do meu interesse? Esses questionamentos eu fiz para as duas senhoras que é claro não gostaram da abordagem, apesar de muito esforço de minha parte em manter a educação que o momento exigia. Em resumo, a senhora recuou em seus argumentos e acabou indo para o final da fila.

Claro que não houve discussão e que o respeito acabou prevalecendo na fila para o caixa. A lição que fica é que o respeito ganha das tentativas de furar fila e ganha muito mais o dono do supermercado que economizando em funcionários e explorando a mão-de-obra dos poucos que contrata juntamente com a exploração da paciência de seus clientes ganha muito mais.

3 comentários:

  1. parabens pela materia, é uma briga que tambem compro, afinal essa gente que quer levar vantagem, para mim, não precisava existir, vamos nos RESPEITAR.

    ResponderExcluir
  2. Passei pela mesma situação ontem em um supermercado no Córrego Grande, mas no meu caso foi na fila de peso das verduras. O cidadão chegou e pulou na minha frente, caso ele não tivesse me visto, disse que a vez era minha e "justificou" que estava com pressa pois a mulher já estava no caixa. E eu com isso? Disse pra ele que eu tbm estava com pressa mas que não iria furar a fila, pois tenho respeito pelo próximo e esperava que ele tbm tivesse. Ele virou e disse um sonoro: "Dá licença!" e passou suas coisas com a maior cara de pau.
    Com isso concluo que quem fura a fila, não tem pressa e sim falta de caráter, pois pessoas assim são as mesmas que furam a fila no trânsito, que trapaceiam pra se dar bem e levar vantagem sobre outras pessoas. Ufa, desabafei!

    ResponderExcluir
  3. Marsalla Vieira Faria9 de março de 2012 20:51

    Infelizmente comigo o desrespeito, o grito, a intimidação que imperaram... Acabei de voltar do supermercado "Valor" em Marabá/PA e novamente (quase sempre acontece) eu estava no caixa e me virei para pegar uma lasanha para colocar em meu carrinho e vi quando um casal entrou na fila onde eu estava, e a mulher empurrou meu carrinho de compras e se posicionou na minha frente. Eu não me contive e questionei a mulher se ela estava furando a fila, e ela sem me responder, retrucou com outra pergunta: "você acha que eu furaria?" Inacreditável a cara de pau! Eu vi! Ela ainda se sentiu ofendida com minha pergunta. E para completar o total desrespeito, o marido dela de forma intimidatória e com tom de voz alta afirmou que eu estava ofendendo a mulher dele, e disparou uma palavra de baixo calão para mim. Ele estava descontrolado e meu marido achou melhor eu me calar. Após o referido cidadão se afastar a mulher (a que furou a fila) me pediu desculpas e alegou que o marido dela é muito grosso, quando o elemento ouviu isso, imediatamente se virou para a sua mulher e a ameaçou: "vamos parar porque isso ficará pior do que encomenda" .
    Depois desse episódio, sinceramente eu lamento muito de encontrar pessoas tão grosseiras, mal educadas e outras coisistas a mais! Não vejo a hora de voltar para minha cidade (Rio).

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!
Aproveite e visite o site www.geografiaescolar.com.br

Postagens mais visitadas