Pular para o conteúdo principal

Coral da Alemanha se apresenta no Teatro da UFSC

clip_image001

Um dos corais mais tradicionais do norte da Alemanha, o coral da Universidade de Greifswald, chega ao Brasil e se apresenta no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, no dia 19 de setembro, segunda-feira, às 19h30. O Coral de Câmara Greifvocal, que fará turnê pelo país, faz parte do Institut für Musik Wissenschaft (Instituto de Música Eclesiástica) da Universidade de Greifswald. Na mesma noite, o Coral e o Madrigal da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também se apresentarão, saudando os visitantes com parte do seu repertório de música brasileira.
O coral da Universidade  de Greifswald trabalha em dois grupos – o coral do Instituto de Música Eclesiástica e o elenco Greifvocal –, ambos dirigidos por Jochen A. Modeβ. Os grupos cantam músicas – a capella – de todas as épocas e interpretam obras com um pequeno grupo de instrumentos. O Greifvocal interpreta também as missas em sol menor (uma versão ampliada de Modeβ) e si menor de Bach.
Pela primeira vez pisando em solo brasileiro, o coral também passa por Salvador, Rio de Janeiro, Pomerode, Blumenau e Porto Alegre. A escolha do Greifvocal de vir para Florianópolis aconteceu após o contato do coral com o professor de História da UFSC João Klug, que esteve na Universidade Greifswald há dois anos ministrando uma palestra.
Histórico do Coral
Cantar no coral de Câmera é uma parte obrigatória para todos os jovens que estudam música eclesiástica na Universidade de Greifswald. Todos os anos, o coral apresenta variadas peças, com predominância dos motetos e cantatas de Bach, na tradicional Semana de Bach, que desde 1994 tem Jochen A. Modeβ como diretor artístico.
Outras importantes apresentações do coral foram os concertos com obras de Heinrich Schütz (história da Páscoa, exéquias), Wolfgang Amadeus Mozart, Rossini “Petite Messe solenelle”, Distler (Choralpassion), Martin (Messe), Modeβ (Passio Mundi).
Em suas turnês, o Greifvocal já viajou para a Inglaterra, Áustria, Estados Unidos, Itália, Letônia, Lituânia, Estônia, Suíça, Finlândia, Rússia, França, Suécia, Dinamarca, Polônia e Israel.
Sobre o dirigente do Coral
O professor Jochen A. Modeβ nasceu em 1954 em Bassum e cresceu em Minden, na Westphália. Jochen começou os estudos musicais em dois instrumentos: piano e órgão. Com 13 anos, teve suas primeiras experiências como organista. Em 1980, Jochen se formou em música eclesiástica na Faculdade para Música e Teatro de Hannover. No mesmo ano, atuou como Kantor (diretor musical) na Igreja S. Mateus em Berlim. Até o ano de 1983, atuou como Kantor na Igreja de Maria de Neustad-Bielefeld. Desde 1993, Jochen ocupa o posto de professor catedrático de música eclesiástica da Universidade Ernst-Moritz-Arndt de Greifswald.
Atualmente, o professor Modeβ é diretor do Instituto de Música Eclesiástica e Ciências Musicais e regente do Coral da Catedral da cidade. Jochen também é regente de dois corais de câmara e um coral infantil, além de ser compositor. Em 2008 foi concedido a Jochen A. Modeβ, por seus especiais méritos no âmbito musical, a medalha Rubenow da cidade de Greifswald.
Programa do Coral de Câmara Greifvocal
Psalmen und Lobgesänge (salmos e cânticos)
Heinrich Schütz – Die Himmel erzählen die Ehre Gottes
Johann Hermann Schein –  Die mit Tränen säen
Johann Sebastian Bach –  Lobet den Herrn, alle Heiden
Otto Nicolai – Der Herr ist König
Gustav Holst – Nunc dimittis 
Felix Mendelssohn Bartholdy –  Denn er hat seinen Engeln
Vytautas Miškinis – Cantate domino
Arvo Pärt – Magnificat
Jochen A. Modeß – Gelobt sei der Herr täglich
Jean Berger – Brasilianischer Psalm
Programa do Madrigal e Coral da UFSC

Madrigal da UFSC

Canta, canta mais – Tom Jobim. Arr: Carlos Besen
Somebody Bigger than you and I – Johnny Lange,  Hy Heath e Sonny Hurki
Banzo Maracatu – Dimas Sedícias. Arr: José Gomes
Coral da UFSC
Eu dei – Ary Barroso. Arr: Regina Lucato e Marcos Leite
Máscara Negra – Zé Keti e Pereira Mattos. Arr: R. Manzo
Deixa Menina – Chico Buarque. Arr: Alexandre Zilahi
Atrás do trio elétrico – Caetano Veloso. Arr: Diana Goulart
O Coral da UFSC foi criado em 1963 e desde 2004 tem como regente a maestrina Miriam Moritz, que também coordena o Madrigal da UFSC, criado em 2009
A apresentação do Coral de Câmara Greifvocal é uma promoção do Departamento Artístico Cultural, da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte) da UFSC.
SERVIÇO
O QUÊ: ACoesentação do Coral de Câmara Greifvocal da Universidade Ernst-Moritz-Arndt de Greifswald – Alemanha, e Madrigal e Coral da UFSC
QUANDO: Dia 19 de setembro de 2011, segunda-feira, às 19h30.
ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha da UFSC, praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis
QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade.
CONTATO: DAC - Teatro da UFSC (48) 3721-9348 e 3721-9447 - www.dac.ufsc.br
Fonte: Rafael Gomes - Acadêmico de Jornalismo, Assessoria de Imprensa do Departamento Artístico Cultural (DAC): SECARTE: UFSC, com material do coral.

Recebido por email.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diário de Classe

IMPORTÂNCIA DO PREENCHIMENTO CORRETO DO DIÁRIO DE CLASSE
O Diário de Classe é um documento oficial da Unidade Escolar e um instrumento de responsabilidade do PROFESSOR com a finalidade de registrar e documentar a frequência e o aproveitamento individual do aluno regularmente matriculado. É também, o documento de controle e confirmação do trabalho do professor e dos alunos. Devido à sua importância, deverá ser preenchido somente pelo professor de forma cuidadosa, sem rasuras e à caneta. ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR REFERENTES AO DIÁRIO DE CLASSE - Preencher o diário de classe de acordo com as aulas ministradas, conforme as orientações estabelecidas no Regimento Interno da U.E.; - Garantir a clareza e a sequência lógica nos registros dos conteúdos de forma que seja possível identificar a relação entre o diário de classe e o planejamento pedagógico; - Lançar os registros diariamente; - Preencher o diário com letra legível, sem erros ou rasuras; - Não fazer registros a lápis no diário…

Sorriso e Silêncio

A mensagem acima, eu li em um perfil de uma rede social. Fiquei pensando sobre os problemas da simplificação da mensagem que aponta para a ideia de que o silêncio é uma maneira de se evitar os problemas.
Penso que estamos onde estamos por enfrentar os problemas e não evitá-los. As doenças sempre foram um problema para a humanidade e as enfrentamos, a gravidade foi, num passado próximo, um problema e hoje temos satélites em órbita porque ela foi enfrentada e não evitada. 
Na verdade o problema não é, em última análise, o problema. Ademais, quando da existência de um problema, o sorriso não me ajuda muito a resolvê-lo. 
Bons livros, horas de pesquisa e muita dedicação sim, pode me ajudar a resolver um problema.
Sobre o silêncio, outro equívoco, o silêncio não é a maneira de evitar os problemas, pelo contrário, o silêncio pode causar muitos problemas. Vocês lembram do Holocausto? Fruto da loucura de uns e do silêncio de outros.
Uma possível correção da legenda na mensagem acima seria, não fiq…