Pular para o conteúdo principal

Game contra a dengue

O Ludo Educativo, um projeto de jogos virtuais desenvolvido no Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (IQ-Unesp), em Araraquara, ganhou neste mês uma versão que estimula o combate à dengue.

A ação é voltada a alunos e educadores da rede básica que queiram usar as ferramentas como atividade extraclasse. No mesmo site, outras modalidades de game para usuários a partir dos 4 anos também alertam para a doença. Disponível há menos de um mês, o aplicativo já teve mais de 20 mil acessos.

A configuração do Ludo se baseia no jogo indiano Pachisi, onde o objetivo é fazer com que o jogador chegue até o fim do tabuleiro respondendo corretamente às perguntas que aparecem no percurso.

Na versão on-line contra a dengue, para passar de fase o usuário precisa eliminar os focos de criação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, mas pode morrer ao ser picado pelo inseto. Outros atrativos do jogo são as palavras cruzadas, jogo dos sete erros e desenhos para colorir, todos disponíveis no site.

“Como a dengue é um assunto de interesse de prefeituras e governos estaduais, acreditamos que o número de acessos poderá aumentar muito nos próximos meses”, disse Elson Longo, professor do IQ e coordenador do projeto.

Segundo Longo, novos projetos de jogos educativos em outros temas, tais como prevenção de pragas urbanas, reciclagem e preservação das florestas brasileiras, já estão em desenvolvimento.

O projeto é idealizado e mantido pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN) e pelo Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), ambos apoiados pela FAPESP.

A participação dos usuários vai além da tela e do teclado do computador. De acordo com o professor Longo, para propor mudanças e sanar dúvidas sobre os jogos, o usuário poderá entrar em contato com a equipe de ensino dos games pelo e-mail elson@iq.unesp.br ou (16) 3351-8214.

O acesso aos jogos pode ser feito pelos endereços:

 

Originalmente publicado pela Agência FAPESP

Comentários

  1. Evitar a proliferação da dengue depende de cada um de nós. Além de cuidar da sua casa, falar com seus vizinhos, manter contato com sua prefeitura sobre focos da doença, você pode utilizar esse espaço para conscientização.
    Seja parceiro do Ministério da Saúde na mobilização contra o mosquito da Dengue. Divulgue em seu blog nosso material. Entre em contato com comunicacao@saude.gov.br e solicite o selo, participe da campanha.
    Saiba mais: http://bit.ly/bMMVKT
    Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!
Aproveite e visite o site www.geografiaescolar.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Diário de Classe

IMPORTÂNCIA DO PREENCHIMENTO CORRETO DO DIÁRIO DE CLASSE
O Diário de Classe é um documento oficial da Unidade Escolar e um instrumento de responsabilidade do PROFESSOR com a finalidade de registrar e documentar a frequência e o aproveitamento individual do aluno regularmente matriculado. É também, o documento de controle e confirmação do trabalho do professor e dos alunos. Devido à sua importância, deverá ser preenchido somente pelo professor de forma cuidadosa, sem rasuras e à caneta. ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR REFERENTES AO DIÁRIO DE CLASSE - Preencher o diário de classe de acordo com as aulas ministradas, conforme as orientações estabelecidas no Regimento Interno da U.E.; - Garantir a clareza e a sequência lógica nos registros dos conteúdos de forma que seja possível identificar a relação entre o diário de classe e o planejamento pedagógico; - Lançar os registros diariamente; - Preencher o diário com letra legível, sem erros ou rasuras; - Não fazer registros a lápis no diário…

Sorriso e Silêncio

A mensagem acima, eu li em um perfil de uma rede social. Fiquei pensando sobre os problemas da simplificação da mensagem que aponta para a ideia de que o silêncio é uma maneira de se evitar os problemas.
Penso que estamos onde estamos por enfrentar os problemas e não evitá-los. As doenças sempre foram um problema para a humanidade e as enfrentamos, a gravidade foi, num passado próximo, um problema e hoje temos satélites em órbita porque ela foi enfrentada e não evitada. 
Na verdade o problema não é, em última análise, o problema. Ademais, quando da existência de um problema, o sorriso não me ajuda muito a resolvê-lo. 
Bons livros, horas de pesquisa e muita dedicação sim, pode me ajudar a resolver um problema.
Sobre o silêncio, outro equívoco, o silêncio não é a maneira de evitar os problemas, pelo contrário, o silêncio pode causar muitos problemas. Vocês lembram do Holocausto? Fruto da loucura de uns e do silêncio de outros.
Uma possível correção da legenda na mensagem acima seria, não fiq…